Insegurança nas ruas e Jornalistas assassinados. E hora de fazer valer a Constituição

25.02.2014 por DC em Notícias


Compartilhar:

Esse início de ano tem sido de grande repercussão para o caos que esta se instalando nas ruas e avenidas desse nosso Brasil.

Basta clicar em “assaltos a caixas eletrônicos”, na Google, para uma infinidade dessa modalidade de crimes abrirem, isso sem contar os recentes ataques a agencias bancarias de cidades do interior, que ao que tudo indica esta na mira dessas quadrilhas. Recentemente duas dessas pacatas populações foram alvos de bandos muito bem armados. Em uma delas, avisada antecipadamente, a policia surpreendeu os bandidos e travou com eles um tiroteio que alarmou esses pacatos cidadãos, nove assaltantes morreram e alguns policiais ficaram feridos, na outra os membros da quadrilha, cerca de 20, estouraram caixas eletrônicos, atiraram em veículos particulares e se evadiram sem deixar pistas.

 

Façam valer

 

Nas ruas da maior cidade do País, São Paulo, o quebra-quebra continua. PMs comemoram em  uma dessas tumultuadas manifestações a prisão em massa de vários desses vândalos, porém os prejuízos se acumulam para comerciantes e quem pagara a conta, fatalmente, será a população.

Na esteira desses crimes e outros tantos, um dos mais graves é o assassinato de cinco jornalistas só neste mês de fevereiro. Quatro deles ainda esperando por uma solução. Segundo a organização internacional Repórteres Sem Fronteiras, o Brasil se tornou o país mais perigoso das Américas para jornalistas. Quem não se lembra do atentado que vitimou o repórter cinematográfico Santiago Andrade, da TV Bandeirante. Além dele a violência ceifou a vida do Radialista Edy Wilson da Silva Dias, da Rádio Explosão Jovem, Espírito Santo, Pedro Palma, dono do Jornal Panorama Regional, Rio de Janeiro, o também repórter cinematográfico José Lacerda da Silva da TV Cabo Mossoró, Rio Grande do Norte e Carlos Dias, locutor da Rádio Juventude, Rio Grande do Norte.

Diante desse quadro só temos a lamentar e dizer que quando aqueles que dão voz ao sentimento de inconformidade que toma conta do país combatem a vilania e a corrupção, começam a serem vitimados pela truculência que grassa em uma sociedade desgovernada, é hora de essa mesma sociedade rever seus valores. É hora daqueles que cultivam um modelo social pautado na liberdade, na justiça e na solidariedade, fazendo valer a lei maior do país, a Constituição, da qual a Democracia Cristã foi uma das forças políticas que mais contribuiu na pessoa de seu Deputado Federal Constituinte José Maria Eymael, assumirem as rédeas da nação.

“Nós não precisamos de mais leis, basta que façam valer as que já temos”, é fala corrente entre os especialistas. A Democracia Cristã Brasileira só tem a acrescentar, “basta que façamos valer a nossa Constituição”, só assim a segurança, tanto para os profissionais de imprensa, como para toda a população voltara a reinar nas ruas desse país de dimensões continentais chamado Brasil”.

 

PSDC: para o Brasil que queremos.