Presidente do PSDC defende fim da corrupção na gestão pública

28.03.2012 por DC em Notícias


Compartilhar:

Presidente do PSDC defende fim da corrupção na gestão pública e diz que partido levanta bandeira de valorização da família

Fonte: Roberta Tum

O presidente regional do PSDC, professor Adail, em entrevista dada do último sábado, 24, falou da importância de se combater a corrupção e destacou que é necessário criar mecanismos para o combate à prática na administração pública. Na oportunidade ele destacou ainda uma das bandeiras do partido que é o resgate dos valores da família.

Durante entrevista ao site Roberta Tum, na manhã deste sábado, 24, o presidente regional do PSDC, professor Adail Carvalho, quando questionado sobre possíveis formas que o partido tenha para o combate a corrupção, tendo em vista a aproximação que a sigla tem com os líderes pertencentes às comunidades, informou que é preciso criar mecanismos dentro da gestão pública para combater a corrupção.

“Precisamos intimidar os que enriquecem as custas da política, e para isso pode-se inclusive agir em parceria com o judiciário. Com gestos simples se pode inibir a corrupção”, afirmou.

Já sobre a liberdade que o partido tem para explicitar seus ideais, o presidente informou que a legenda tem autonomia e liberdade de expressão. “Sou um cara rico no quesito proposição de idéias e no que diz respeito ao debate das demandas sociais. A liberdade começa desde as bases onde todos filiados votam e têm participação igual”, afirmou.

Segundo, Carvalho, o Partido conta hoje com 900 filiados na capital e a sigla pretende filiar mais. “Convidamos todos os nossos pré-candidatos para iniciarem uma campanha de filiação, dessa forma pretendemos crescer cada vez mais”, justificou.

Bandeira do Partido

Ainda segundo o presidente, a principal bandeira do PSDC é o resgate dos valores da família, o que tem provocado uma articulação com a presidente Dilma Rousseff (PT), para a criação do Ministério da Família. “O objetivo do ministério é coordenar as ações de governo voltadas para a família, pois percebemos que estamos perdendo os valores desta instituição que é milenar”, informou ao destacar que o partido pretende, até novembro, arrecadar mais de um milhão de assinaturas para fundamentar a
criação.

Como exemplo da atuação do ministério proposto, o presidente exemplificou: “se for construir uma estrada, por exemplo, o gestor teria que apresentar o que a obra traz de benefício para a instituição família”.